Publicado em Deixe um comentário

Bonito de ser pai é ser natural.

Dia dos pais Ekilibre

Ser pai é plantar raízes, é ensinar segurando a mão com coragem e determinação. Correr descalço pelo mato. Aventurar-se em barquinhos de papel nos regatos – mesmo que, às vezes, sejam só os das calçadas… Aprender amarelinha e todas as outras cores. Brincar de fazer barba com muitas caretas juntos no espelho. Ensinar a subir em árvores. Ouvir a mesma história duzentas vezes. Contar a mesma história outras trezentas, tomar uma bronca porque não contou igual e contar trezentas mais. Aprender a fazer rabo-de-cavalo. E a servir de cavalo. Fazer guerra de filtro solar e campeonato de penteado de espuma no chuveiro. Ser enterrado na areia. Ou na terra. Ou ambas. Descabelado, sujo de terra da cabeça aos pés, tomar banho e se derreter com os elogios do serzinho que vem pro colo cheirar seu cangote. Pai bonito é pai que deixa rastro: rastro de perfume e sabonete, rastro de alegria, rastro de vivência. É pai destemido, que se entrega de braços abertos na brincadeira e na vida e, num abraço de herói ou de urso, engole todos os perigos e tristezas. Para meu incrível pai, para o melhor pai do mundo.

Beleza de pai é Ekilibre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *